Tintas Acrílicas ou PVA, como usar e onde usar?





O Wikipédia assim define as tintas: “Tinta é o nome normalmente dado a uma família de produtos que, após aplicação sob a forma de uma fina camada, a um substrato se converte num filme sólido opaco. As tintas são usadas para proteger e dar cor a objetos ou superfícies”.

Aqui vamos nos ater inicialmente a comentar sobre apenas sobre uma parcela destes produtos. Nosso objetivo é esclarecer algumas pessoas sobre o uso de cada tipo, como usar e onde usar. Aqui vamos tratar das tintas acrílicas ou PVA. Diversas vezes os produtos tem uma aplicação determinada de forma mais ampla mas funcionalmente ele é mais ou menos adequado justamente pelas suas propriedades.

De modo geral, para aplicação em paredes, temos que escolher entre tintas acrílicas ou látex (PVA). Ambas devem passar por procedimentos similares de preparo da superfície, ou seja, após a aplicação do selador sobre o reboco, e da aplicação da massa corrida ou da massa acrílica, se procede a aplicação da tinta.

De um modo geral, se fala da maior qualidade da tinta acrílica em relação à PVA. Mais do que durabilidade, fala-se inclusive em padrões de acabamento, o que é uma verdade. Enquanto a tinta PVA limita-se ao acabamento fosco, a tinta acrílica pode apresentar-se nas versões, fosca, acetinada ou semi-brilho.

Para entender o que se está escolhendo, é preciso compreender as características de cada produto.

Tintas foscas, sejam elas acrílicas ou PVA, são tintas usualmente especificadas por serem mais agradáveis aos olhos e disfarçar problemas de execução nas paredes. Elas escondem os defeitos e por isso todos os imóveis são entregues com pintura fosca. Além disso, aceitam retoque com facilidade, não necessitando que você pinte toda a parede (todo o pano) para fazer algum reparo que seja necessário. Por exemplo, quando ocorre algum vazamento, infiltração, mofo, arranhão, batida, o retoque na pintura pode ser pontual. Ao mesmo tempo, esta facilidade está associada a uma maior facilidade de sujar. Ela também não possui a mesma durabilidade de tintas acetinadas ou semi-brilhos, devendo-se, portanto, evitar o seu uso em áreas externas se o que se quer é durabilidade. É o acabamento que existe desde sempre, ou seja, prédios históricos usam tintas foscas. Requer repintura em média a cada 2 anos.

Tintas acetinadas por outro lado, são também tintas agradáveis aos olhos mas que salientam problemas de execução na massa, seja ela acrílica ou PVA. Não aceitam retoques parciais, na necessidade de retoques, os panos devem ser pintados inteiros. Ao mesmo tempo, tem uma durabilidade muito maior que as foscas e tem a vantagem de serem “laváveis”, ou seja, se uma mão suja de criança passar por ali, um pano úmido resolve. É claro que a aplicação de produtos químicos mais agressivos podem agredir a química do produto devendo ser evitado. É, devido à questão de limpeza, uma excelente solução para áreas que precisam ser mantidas limpas como consultórios, por exemplo. Pode ser usada tanto em interiores quanto exteriores, embora para exteriores tenha menor durabilidade do que as tintas semi-brilho. Requer repintura em média a cada 5 anos para exterior, para interiores este tempo pode chegar a mais de 10 anos.

Tintas Semi Brilho são tintas que parecem emborrachadas  – parecem mas não são. Ideais para áreas externas. Em interiores ficam bastante grosseiras. Não aceitam retoques – seguem neste sentido, o padrão das acetinadas. São muito laváveis, aguentando inclusive o uso de lava jatos, se a base for corretamente executada. Requer repintura em média a cada 10 anos para exteriores. Cores fortes tendem a desbotar quando sob sol intenso, podendo reduzir o tempo de repintura para menos de 5 anos.

Você então deve estar se perguntando, devido à qualidade e custo, por que ainda existe a tinta PVA, quando poderíamos substituir todas pelas acrílicas? Hoje, embora ainda exista o nome látex PVA, a composição das tintas já é predominantemente de compostos acrílicos. Ainda assim, a tinta chamada PVA ou látex é uma tinta que não cria um filme tão intenso quanto o filme criado nas tintas denominadas acrílicas. E isso é importante por que o uso da tinta PVA é extremamente recomendado para o uso em forros. Isso por que é pelo forro que se identificam, na maioria das vezes, vazamentos. O uso da tinta PVA neste elementos permite que em caso de humidade, a cor amarele com mais facilidade, mostrando eventual problema que esteja surgindo, ainda no seu início. O uso de tintas que mascaram problemas pode ser extremamente perigoso, em especial em forros de gesso, quando a fragilização das estruturas pode resultar em desabamento. Fora esta situação, a existência de vazamentos pode causar danos às instalações elétricas, por exemplo. Ou seja, sua constatação cedo é mais do que desejável.

Há ainda aspecto estético que deve ser considerado quando se especificam tintas. Em geral, as cores escuras ficam muito melhores em acabamento fosco. Outra dica importante na pintura de tons escuros é dar uma primeira demão da cor preta na parede, facilitando assim que as duas demãos subsequentes da cor escolhida tenha um cobrimento maior.

Deve-se lembrar sempre de que a ordem depois do reboco é selador > massa corrida (duas demãos com lixação entre as demãos com lixas 120 > 180+220) > tinta (mínimo de duas demãos com uma lixação entre as demãos).

Para paredes existentes, com problemas, pode-se usar o fundo preparador para paredes, no lugar do selador. A massa corrida é para dar uniformidade. Pode ser usada ou não dependendo do acabamento das paredes existentes.

Em caso de mofo, é importante limpar previamente a área com hipoclorito de sódio (a boa e velha água sanitária), antes de qualquer procedimento. E deixar secar bem, ou seja, realizar o procedimento em dias quentes, de sol, sem umidade. A parede precisará estar bem seca para então iniciar os procedimentos de pintura.

A lixa, quanto menor o tamanho, maior a aspereza. Quanto maior o número, menor o grão e melhor o acabamento. Pode parecer algo bobo mas tem gente que não sabe. E nós estamos aqui para esclarecer.

O assunto de tintas e pinturas é sempre mito interessante e vasto. Vejam que apenas estamos falando de superfícies do tipo reboco, concreto, gesso.

Equipe Capsula.