Prata Housing Complex, projeto com escala humana para área em revitalização.





Muito se fala sobre os projetos de renomados arquitetos e seus escritórios. Grandes projetos, em formas arrojadas, porte significativo, alturas mais ainda, tecnologia revolucionária. Em que pese toda a fama obtida por projetos como o prédio do The New York Times, o Aeroporto Internacional de Kansai, o Centro Georges Pompidou, entre tantos outros que marcaram os estudos de estudantes e arquitetos, Renzo Piano consegue aos seus 80 anos, manter a capacidade de pensar a cidade do modo antigo, na escala da pessoa.

O projeto desenvolvido pelo RPBW – Renzo Piano Building Workshop para uma para a industrial em Lisboa, em revitalização, chama a atenção por manter a escala humana das edificações. Enterrando os veículos, traz comércio a base dos prédios mantendo a animação da área de intervenção. E desenvolve a área residencial em si de forma totalmente a parte. Pequenos detalhes demonstram o cuidado com o usuário, como o balanço sobre a fachada das lojas que permite o transito protegido, seja do sol ou de chuvas. Um jardim interno e um afastamento adequados, garantem a privacidade visual das unidades entre si, além de garantir iluminação e ventilação adequados.

O que mais chama a atenção, porém, é a busca por gestos formais em uma arquitetura mais singela. Fugindo das lajes planas e telhados escondidos, as lajes inclinadas funcionam como coroamento do conjunto ao mesmo tempo em destinam as águas das chuvas para fora das edificações. Numa clara composição de base + corpo + coroamento, a leitura é funcional e agradável ao conjunto.

Imagens retiradas do site: Renzo Piano Building Workshop

Em execução, em breve esperamos disponibilizar fotos da obra pronta. O site não aborda muito as questões tecnológicas relacionadas ao projeto mas se tratando do RPBW podemos esperar sim por soluções bastante inteligentes e sustentáveis para o conjunto.

Em que pese todos os grandes projetos espalhados pelo mundo, devemos sempre nos lembrar que a manutenção da escala humana é fundamental para manter vivas as áreas das cidades. A ocupação e apropriação do espaço é fundamental e a destinação de atividades junto às calçadas garantem esta animação própria das cidades. Embora o projeto seja para um determinado cliente, uma determinada área, a sua contextualização é fundamental para o seu sucesso e do conjunto que chamamos de cidade.

O Brasil necessita cada vez mais de ocupações do espaço para tentar reverter o caos que se instala nas nossas cidades. Nunca o papel do arquiteto e urbanista foi tão importante.

Equipe Capsula.