Conceito de média e mediana para orçamentos SINAPI.

Uma vez que você compreende quais as tabelas SINAPI utilizar, o que são insumos, composições, coeficientes, o próximo passo é, ao perceber a falta de um item específico, conseguir orçar este item e coloca-lo nos padrões exigidos pelos órgãos públicos. Neste momento, antes de entender como criar as novas composições a partir de preços externos é preciso entender como buscar estes preços.

A internet facilitou em muito a pesquisa de preços, pois muitas são as vezes em que se solicita orçamento e o fornecedor não responde. Isto por que chega um momento em que o fornecedor sabe que você não irá comprar, então ele coloca pro final da fila de atendimento, para quando sobrar tempo. Só que você tem o prazo correndo para fazer o seu orçamento. E na internet tem muita coisa que pode resolver este tipo de situação. Ao mesmo tempo, a visualização do que são os itens que estão sendo orçados, permite ao orçamentista melhorar muito o seu conhecimento prático sobre arquitetura e engenharia.

É preciso lembrar, porém, que estamos em um país com dimensões continentais e por isso, as variações de preços nas diferentes regiões do Brasil são bastante significativas. Tecnicamente falando, as cotações devem se restringir as regiões brasileiras, ou seja, se você é do Rio de Janeiro, pode usar preços dos demais estados da Região Sudeste. Se você está em Manaus, pode usar as cotações dos demais estados da região norte. E assim nas demais cidades.

Importante lembrar que as cotações devem ser registradas, ou seja você deve salvar em PDF todos os preços de um orçamento público por que esta informação deve estar disponível no seu orçamento.  Para quem é totalmente leigo nesta parte, o que estamos dizendo é que, quando você localiza um preço na internet, você deve salvar a página em PDF. Se você esta navegando com o Google Chrome, basta clicar em imprimir e ao setar a impressora setar em “salvar em pdf”. Prestar atenção se está clicado para imprimir os cabeçalhos e rodapés. Isto por que é ali que estarão registradas as datas de sua pesquisa, afinal, um preço é válido por um tempo, em geral 1 mês. Sem isso, sua cotação não tem valor legal algum.

De posse de pelo menos 3 preços de fornecedores diferentes – isso é o mínimo recomendado para quando se está orçando um produto que não tem no SINAPI, chega-se ao momento de definir qual preço usar. Há duas maneiras distintas de proceder, utilizar a MÉDIA ou utilizar a MEDIANA.

Para a determinação da MÉDIA de preços, você deve somar valores das cotações, e dividir a soma pelo número de preços obtidos. Se são três cotações, soma-se os três e divide-se por três. Este procedimento te dará a média de preços.

A determinação de MEDIANA é bastante diferente pois não envolve contas. Pois o preço mediano não é nem o maior, nem o menor. De três preços, o preço mediano é o do meio, sem nenhuma alteração de valor, apenas o da cotação em si.

Quem determina se usamos a MÉDIA ou a MEDIANA? Novamente não é você, e sim o fiscal de seu contrato. Ele deve definir previamente, ou seja, no início do serviço qual parâmetro usar. Se não for dito, questione, pois não cabe ao orçamentista esta definição.

Mais uma vez, esperamos ter ajudado.

Equipe Capsula.