Alvenaria em Bloco Estrutural de Concreto 3Mpa, espessura 10cm.

Alvenaria em Bloco Estrutural de Concreto 3Mpa, espessura 10cm.

Localização: Projeto deve indicar o local onde está sendo utilizado o produto especificado.

a) Especificação dos materiais:

  • Alvenaria em bloco de concreto estrutural com espessura 10cm, resistência de 3Mpa. Alvenaria composta por blocos de concreto estrutural, tamanhos diversos conforme detalhamento, com resistência comprovada de 3Mpa, TECMOLD, ou equivalente técnico, assentado com argamassa ASTM C270.

b) Execução / Controle:

A alvenaria deve ser feita respeitando-se as perfeitas condições dos materiais, bem como às certificações técnicas exigidas, em especial cuidado ao assentamento dos blocos de acordo com as resistências indicadas para cada parede, de modo evitar “troca de materiais”.

A execução deve ser realizada por profissional treinado, habilitado e com conhecimento prévio em alvenaria estrutural.

Os blocos devem ser fabricados e curados por processos que assegurem a obtenção de um concreto suficientemente homogêneo e compacto, de modo a atender a todas as exigências da norma específica. Os lotes devem ser identificados pelo fabricante, segundo sua procedência, transportados e manipulados com as devidas precauções, para não terem sua qualidade prejudicada.

Os blocos devem ter arestas vivas e não devem apresentar trincas, fraturas ou outros defeitos que possam prejudicar o seu assentamento ou afetar a resistência e a durabilidade da construção, não sendo permitido qualquer reparo que oculte defeitos eventualmente existentes no bloco.

Por ocasião do pedido de cotação de preços, o comprador deve indicar o local da entrega do material, bem como a classe, a resistência característica à compressão, as dimensões e outras condições particulares dos blocos desejados especificados no projeto.

Para fins de fornecimentos regulares, a unidade de compra é o bloco.

Se necessário, os blocos de concreto serão ensaiados em conformidade com os métodos indicados nas normas.

O armazenamento e o transporte dos blocos serão realizados de modo a evitar quebras, trincas, umidade, contato com substâncias nocivas e outras condições prejudiciais. Deve ser feito de forma racionalizada, por meio de carrinhos ou equipamentos apropriados, aumentando a eficiência da mão de obra e evitando o desperdício de material. Amostras deverão ser submetidas à Fiscalização para aprovação.

Seguindo as indicações do fabricante para o correto assentamento dos blocos, deve-se preencher completamente com argamassa as juntas entre os blocos, ressaltando que a espessura da junta não deve ultrapassar 10mm.

Não deve-se deixar cair argamassa nos vãos dos blocos, nem ser utilizado argamassa que caiu no chão.

Será necessária atenção especial na questão do alinhamento dos blocos, pois como a parede terá uma espessura fina de reboco, qualquer peça fora do prumo acarretará em danos no acabamento e desperdício de argamassa. No caso de haver correção do prumo, o assentamento e o alinhamento de um bloco deve ocorrer somente no momento de colocá-lo. Se necessário, retire o bloco com a argamassa e assente-o novamente.

Sempre utilizar argamassa misturada na betoneira, nunca em caixa de mistura, depois de misturada a argamassa, o tempo máximo para uso é de duas horas, após esse período, não utilizar.

Usar somente argamassa com plasticidade suficiente para aderir às juntas e nunca altere o seu traço colocando cimento ou areia. Só é permitido usar água na mistura, para não prejudicar a qualidade da sua liga.

Depois de prumados, nivelados e alinhados, assente com cuidado os blocos. A primeira fiada é muito importante, pois se não estiver perfeita, comprometerá todo o trabalho.

Caso algum bloco fique fora de posição, bata nele cuidadosamente com o martelo de borracha. Nunca tente realinhá-lo depois de assentar a fiada seguinte ou superior.

Alinhe a argamassa sobre as paredes do bloco usando uma quantidade tal que permita eliminar o seu excesso ao ajustá-lo na posição.

Os blocos devem ser colocados em pé para receber a argamassa nas bordas dos blocos (incluindo os já assentados).

Para instalações hidráulicas, serão utilizados os blocos canaleta e os blocos meio canaleta. Para instalações elétricas, use os blocos vazados e, eventualmente, os canaleta, passando as tubulações pelos seus vãos.

Quanto às instalações elétricas, a preparação dos blocos serrados para embutir as caixas de eletricidade, deve ser feita em uma bancada. Primeiro, marque os blocos e, depois corte-os. Posteriormente, as caixas de eletricidade serão chumbadas nos vazios cortados, que devem ser mais largos do que elas, possibilitando alinhá-las em ambientes nos quais haja duas ou mais na mesma altura.

Para a instalação das vergas, a alvenaria deve estar perfeitamente nivelada, cada verga deve ser assentada sobre a mesma argamassa do bloco e o vão da porta deve estar na sua exata medida.

A argamassa de assentamento a ser utilizada deverá do tipo ASTM C270, esta que é recomendada por ser utilizada nesse tipo de material, servindo para ligar os componentes da estrutura e vedar as juntas contra entrada de ar e água, assim como a solidarização dos blocos, absorção dos esforços originados pela movimentação da estrutura, distribuir uniformemente os esforços nas paredes, impedindo a transmissão de cargas concentradas originadas pelas variações dimensionais dos blocos e acomodar as armaduras horizontais.. Além das indicações do fabricante, deverá ser respeitada a norma específica para esse tipo de argamassa, assim como o traço indicado para a resistência de cada bloco, sendo vedada a adição de qualquer tipo de material, exceto água, no momento da mistura. A alteração do traço pode comprometer as propriedades do material e as funções respectivas.

Após realizada as juntas entre os blocos, será feita a limpeza, utilizando-se panos ou esponja seca. Esta limpeza visa não criar relevos no reboco.

Permanecendo restos de argamassa endurecida que venham a formar cristas sobre a alvenaria, recomenda-se a utilização de escova de aço com cerdas finas.

Qualquer duvida quanto à execução das alvenarias estruturais sempre deverão ser comunicadas ao órgão responsável pela fiscalização, evitando assim, problemas posteriores.

c) Recebimento:

Todas as etapas do processo executivo deverão ser inspecionadas pela Fiscalização, de modo a verificar a perfeita execução da estrutura, a locação, o alinhamento, o nivelamento, o prumo, bem como arremates, em conformidade com o projeto. Não serão aceitos materiais que apresentem deformações, amassamentos, violações, oxidações ou outras irregularidades de qualquer natureza, mesmo que provenientes de falha no transporte, fabricação e/ou instalação.

d) Medição e Pagamento:

O preço deverá compreender todas as despesas decorrentes do fornecimento dos materiais e mão-de-obra necessários ao transporte, entrega e instalação da estrutura, conforme especificações e recomendações do fabricante, incluindo materiais acessórios, acabamentos, serviços auxiliares de limpeza e outros serviços complementares. A medição será efetuada por m² de alvenaria executada.