Piso Cerâmico Extrudado 30x30cm, padrão a definir, espessura 12mm, fixada com argamassa colante AC-II e rejuntamento anticorrosivo a base de resina epóxi.

Piso Cerâmico Extrudado 30x30cm, padrão a definir, espessura 12mm, fixada com argamassa colante AC-II e rejuntamento anticorrosivo a base de resina epóxi.

Localização: Projeto deve indicar o local onde está sendo utilizado o produto especificado.

a) Especificação dos materiais:

Revestimento Cerâmico Porcelânico Extrudado para aplicação em pisos, com dimensões e especificações conforme indicado em projeto e relacionado a seguir:

Cerâmica dimensões 30x30 cm, ou superior, espessura mínima 12mm, cor Branco, da marca GAIL ou equivalente técnico; cerâmica de baixa absorção e alto desempenho (absorção de água menor ou igual a 1%, resistência à flexão menor ou igual a 35Mpa, carga de ruptura menor ou igual a 3500 N e resistência à abrasão profunda menor ou igual a 175mm³; alta resistência química; resistente a manchas, congelamento e ao escorregamento.

Deverá incluir rodapé com o mesmo padrão e material do piso utilizado, com altura de 10cm.

O rejuntamento deverá ser executado com argamassa sintética anticorrosiva, à base de resina Epóxi de alta resistência química e mecânica, especial para o emprego de rejuntamentos de pisos cerâmicos da linha industrial.

As juntas deverão ser executadas com no máximo 10mm de espessura.

O assentamento das cerâmicas será executado com argamassa colante pré-fabricada para cerâmica, área interna, TIPO AC-II da QUARTZOLIT ou equivalente técnico e rejuntamento QUARTZOLIT para cerâmica, tipo flexível, área interna ou equivalente técnico, na tonalidade do piso.

Os materiais serão de procedência conhecida e idônea. As peças deverão ser cuidadosamente classificadas no canteiro de serviço quanto à sua qualidade, calibragem e desempeno, rejeitando-se todas as que apresentarem defeitos de superfície, discrepâncias de bitolas ou empeno. As peças serão armazenadas em local seco e protegidas, em suas embalagens originais de fábrica.

b) Execução / Controle

As paredes onde serão aplicados os revestimentos cerâmicos deverão estar limpas, isentas de óleo, graxas, gorduras ou qualquer tipo de incrustações. Essas paredes deverão estar perfeitamente aprumadas e niveladas, sem ondulações ou depressões visíveis.

As juntas estruturais de construção ou dilatação, existentes ou definidas no Projeto de Estrutura de Concreto, deverão ser rigorosamente obedecidas na execução dos revestimentos.

O assentamento das cerâmicas se dará depois de testadas e verificadas as tubulações das instalações hidráulicas e elétricas quanto às suas posições e funcionamento.  Deverão ser colocadas as mestras na ocasião da execução das instalações para orientar a execução do revestimento.

As cerâmicas deverão estar limpas e isentas de materiais estranhos.

Quando cortados para passagem de canos, torneiras e outros elementos das instalações, os materiais cerâmicos não deverão conter rachaduras, de modo a se apresentarem lisos e sem irregularidades. Cortes de material cerâmico para constituir aberturas de passagem dos terminais hidráulicos ou elétricos terão dimensões que não ultrapassem os limites de recobrimento proporcionado pelos acessórios de colocação dos respectivos aparelhos. Quanto ao seccionamento das cerâmicas, será indispensável o esmerilhamento das bordas dos cortes, de modo a se obter peças corretamente recortadas, com arestas vivas e perfeitas, sem irregularidades perceptíveis.

Na aplicação das cerâmicas será utilizada argamassa adesiva especial pré-fabricada do tipo “cimento colante”, misturada em água na proporção em volume indicada pelo fabricante. Os materiais deverão ser bem amassados e a argamassa resultante deverá ser preparada em pequenas quantidades, o suficiente para ser utilizada por um período máximo de 3 horas. O amassamento será feito sob área coberta, em tabuleiros de superfícies planas, impermeáveis e resistentes. No amassamento deverão ser tomados os devidos cuidados de modo a evitar perda de água ou segregação de materiais.

A argamassa deverá ser aplicada diretamente sobre o emboço com o lado liso de uma desempenadeira de aço de espessura 3 a 4 mm, em seguida com o lado denteado da desempenadeira, provocar o aparecimento de sulcos e cordões paralelos para melhor fixação das peças. Com esses cordões ainda frescos, efetua-se o assentamento, batendo-se uma a uma as cerâmicas. A espessura da camada entre emboço e cerâmica será de aproximadamente 2 mm

As juntas deverão ser corridas, perfeitamente alinhadas em prumo e nível, e de espessuras uniformes de aproximadamente 6 mm (assentamento com junta a prumo). Se por demora de aplicação ou condições climáticas desfavoráveis, ocorrer uma leve película sobre a superfície de argamassa aplicada, provocando o início de secagem em prejuízo da aderência, deve-se umedecer a superfície levemente com brocha. Em dias de muito calor ou vento forte é recomendável umedecer a base (emboço) antes da aplicação da argamassa colante.

Decorridas 48 horas do assentamento, deverá ser verificada a perfeição dos serviços, percutindo-se uma a uma as cerâmicas, e procedendo-se à imediata substituição daquelas que mostrarem pouca aderência ou que se apresentarem lascadas, trincadas ou quebradas. A substituição deverá observar todo o processo descrito anteriormente.

O rejuntamento deverá ser feito com pasta obtida pela hidratação de massa pré-fabricada com aditivo antidescolante, especial para juntas de cerâmicas, na cor aproximada da cerâmica. A argamassa de rejuntamento será forçada para dentro das juntas, manualmente, e o excesso de argamassa será removido, antes da sua secagem.

Após a completa secagem, rejuntamento, verificação e correção das eventuais falhas ou defeitos de colocação, as superfícies serão completamente limpas com o uso de pano seco ou estopas.

As eventuais sobras de pasta de rejuntamento, secas e endurecidas não poderão, em hipótese alguma, serem reutilizadas.

Na execução do piso cerâmico deverão ser observados todos os detalhes previstos no projeto, tais como juntas, caimentos, cotas e rodapés.

Deverá ser executado piso cerâmico com a indicação de resistência, conforme plantas de detalhamentos específicos e plantas baixas.

Ao receber a placas cerâmicas, antes de assentar, os seguintes cuidados devem ser tomados:

  • Recebimento do material: verificar se todas as caixas contêm produtos do mesmo tamanho, tonalidade, qualidade, lote e índice PEI (classe de abrasão superficial), e se essas especificações correspondem ao descrito no projeto fornecido;
  • Em caso de defeitos, as placas devem ser separadas para posterior troca, se não forem usadas nos acabamentos.
  • Verificar antes da aplicação dos revestimentos:
    • se a base que receberá o piso/parede está alinhada, plana, no prumo, com a superfície áspera, limpa e isenta de graxas, ceras e curada. Se a base for nova, o emboço ou o contra-piso devem ter cura mínima de 14 dias, e no caso de concreto, 28 dias;
    • livre de fontes de umidade;
    • impermeabilizada, quando necessário como em box e áreas externas;

Executar primeiro o assentamento das paredes e depois o piso;

Após o assentamento, deverá ser aguardado três dias para iniciar o processo de rejuntamento. Durante este tempo não será permitido o tráfego no local;

Obedecer às juntas de assentamento, conforme a especificações do fabricante.

Evitar quedas de objetos pesados e pontiagudos para que não ocorram lascamentos;

Não deverá ser utilizado ácido na limpeza.

Limpeza dos locais de assentamento:

  • A base a ser revestida deverá passar por um processo de limpeza para remoção de pó,
  • sujeira, gordura, bolor e outras substâncias que possam vir a prejudicar a aderência.

Os procedimentos recomendados para a limpeza são os seguintes:

  • escovação com vassoura de piaçaba ou escova de aço;
  • remoção de partículas aderidas com espátula;
  • lavagem com água sob pressão ou jato de areia nos casos de grande impregnação.

Assentamento da Cerâmica:

  • Utilizar somente argamassa própria para cerâmica (cor compatível com a peça cerâmica);
  • Observar o prazo de validade (não utilizar argamassa vencida);
  • Preparar somente com água limpa, nas proporções indicadas na embalagem, até obter uma pasta homogênea;
  • Deixar em repouso por 15 minutos e misturar novamente;
  • A desempenadeira deve ser nova com os dentes de 10 mm e estar em ângulo de 60º em relação à base;
  • Aplique uma camada fina de argamassa colante (3 a 4 mm) com o lado liso da desempenadeira proporcionando assim uma melhor aderência;
  • Estender a argamassa colante sobre a base, com o lado liso da desempenadeira;
  • Logo em seguida passar o lado dentado, formando cordões de sulcos paralelos;
  • Caso os cordões estejam se soltando, houve problemas no preparo da argamassa, como excesso ou falta de água;
  • Não deixar passar mais de 20 minutos para o assentamento das peças;
  • A cada peça deve haver uma junta de 10 mm;
  • As demais juntas devem como as de dilatação e estruturais devem ser mantidas livres em todas as camadas de assentamento;
  • Para as cores claras, utilizar martelo de borracha branca, ou envolva o martelo com um pano;
  • Limpe constantemente as juntas, removendo o excesso de argamassa e mantenha a superfície limpa.

c) Recebimento:

Todas as etapas do processo executivo deverão ser inspecionadas pela Fiscalização, de modo que a superfície final se apresente bem uniforme, nivelada e acabada, com bom acabamento nas juntas e arremates, alinhados e regulares, em conformidade com as indicações do projeto.

d) Medição e Pagamento:

O preço deverá compreender todas as despesas decorrentes do fornecimento dos materiais, ferramentas, equipamentos e mão-de-obra necessários ao assentamento das peças, incluindo argamassa de assentamento, nivelamento, recortes, arremates, acabamento, requadrações, rejuntamento, limpeza, andaimes e demais serviços auxiliares.

A medição será efetuada por m² (metro quadrado) de revestimento fornecido e efetivamente executado, conforme dimensões indicadas em projeto, descontando-se no que exceder a 1,00 m², os vazios cujas superfícies de topo não sejam revestidas.