Quadro Elétrico, Quadro Geral de Baixa Tensão – QGBT, em Chapa Metálica, de Embutir, 12 Posições.

Quadro Elétrico, Quadro Geral de Baixa Tensão – QGBT, em Chapa Metálica, de Embutir, 12 Posições.

Localização: Projeto deve indicar o local onde está sendo utilizado o produto especificado.

a) Especificação dos materiais:

Quadro Geral de Baixa Tensão, QGBT, em chapa metálica pintada, de embutir, para 12 disjuntores termomagnéticos, monopolares, com barramento trifásico e neutro, fornecimento e instalação, Helzin ou equivalente técnico.

b) Execução / Controle:

Os quadros de proteção e comando em baixa tensão devem ser projetados, construídos, testados e fornecidos conforme as recomendações aplicáveis das últimas revisões das Normas Técnicas das seguintes associações:

  1. ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas
  2. ANSI – American National Standards Institute
  3. IEC – International Eletrotechnical Comission
  4. NEMA – National Electrical Manufactures Association
  5. ASTM – American Society of Testing Materials

Os quadros devem ser constituídos de seções verticais padronizadas, feitas de chapas de aço com bitola mínima 12 MSG para os perfis estruturais e 14 MSG para as portas, laterais e fundo, justapostas e interligadas de forma a constituir uma estrutura rígida auto-suportável, totalmente fechada, com possibilidade de ampliação em ambas as extremidades. O número de compartimentos deve ser adequado em função da quantidade de equipamentos instalados em cada quadro.

Cada compartimento deve possuir, na parte frontal, portas com dobradiças e trinco. Devem ser providos meios que impeçam a abertura da porta de um compartimento quando o mesmo estiver com seu equipamento ligado.

Os quadros devem possuir barramento principal, de preferência horizontal e na parte superior, do qual derivam os barramentos secundários em cada compartimento para a alimentação das unidades. Todos os barramentos devem ser de cobre eletrolítico 99,9%, com cantos arredondados, pintados com uma cor para cada fase e neutro, se existir.

Os barramentos devem ter capacidade de condução de corrente conforme especificado no projeto, e devem ser dimensionados de modo a suportarem os efeitos térmicos e mecânicos produzidos pelas correntes de curto-circuito do sistema.

Cada compartimento e equipamento deve possuir uma plaqueta de identificação de plástico laminado com fundo preto e gravação em letras brancas. Na primeira linha deve ser gravado o código de referência do equipamento, e nas demais linhas sua função, sendo estes dados indicados no projeto. Para equipamentos futuros (previsões), as plaquetas devem ser fornecidas sem gravação.

Em cada compartimento, quando solicitado, deve existir sinalização por meio de lâmpadas: cor verde para indicação de equipamento desligado, cor vermelha para indicação de equipamento ligado, e cor âmbar para indicação de equipamento em partida. Para indicação de energia disponível para os circuitos de comando também deverão ser instaladas lâmpadas brancas. A substituição das lâmpadas e lentes deverá ser possível pela frente, sem a abertura da porta do compartimento.

Os condutores devem ser de cobre, encordoados, com isolamento mínimo para 750 V e seção mínima 1,0 mm² para comando e 2,5 mm² para força. As entradas e saídas dos cabos dos quadros devem ser conforme as indicado no projeto.

Os blocos terminais, quando incluídos, devem ser em número suficiente para receber os cabos de comando, controle e sinalização, além de mais 20% dos bornes utilizados como bornes de reserva. Todos os bornes devem ser numerados de forma visível e permanente, e ter capacidade adequada aos circuitos considerados, sendo todos com isolamento para 750 V.

Cada seção vertical deve possuir um resistor de aquecimento de potência adequada para impedir a condensação de umidade no seu interior, com acionamento através de termostato regulável para controle da temperatura. O circuito de cada resistor deve ser protegido por disjuntor termo-magnético.

Os quadros devem possuir furações para colocação de dispositivos destinados à sua fixação ao piso ou na parede. Estes dispositivos devem ser fornecidos pelo próprio fabricante do quadro.

Todas as partes metálicas não previstas para condução de corrente devem ser ligadas ao barramento de terra do quadro, o qual deve ficar na parte inferior interna do quadro, em toda a sua extensão e fornecido com conectores adequados, do tipo não soldado, para cabo de cobre nu, encordoado, na bitola mínima de 10mm²

O acabamento dos quadros deverá ser resistente à corrosão causada por umidade ou atmosfera característica ao ambiente onde será instalado. O tratamento anti-corrosivo deve consistir de no mínimo duas demãos de tinta anti-oxidante nas partes internas e externas além da pintura final de acabamento, na cor cinza claro.

c) Recebimento:

Todas as etapas do processo executivo deverão ser inspecionadas pela Fiscalização, de modo a verificar a execução e o acabamento, devendo estar em conformidade com o projeto. Deve-se verificar o resultado da instalação junto ao término do serviço, conforme NBR, a fim de verificar seu pleno funcionamento.

d) Medição e Pagamento:

O preço deverá compreender todas as despesas decorrentes do fornecimento dos materiais, ferramentas, equipamentos e mão-de-obra necessários a sua execução, conforme especificações e recomendações do fabricante, incluindo materiais acessórios, eventuais acabamentos, serviços auxiliares de limpeza e outros serviços complementares, bem como transporte.

A medição será efetuada por unidade de peça instalada, incluindo eventuais acessórios.